Fora Temer! Diretas já!

Artigo da senadora Fátima Bezerra publicado na edição de hoje do Novo Jornal

15385525_1097488917015136_7895367477446955367_oNa última quarta-feira, os protagonistas do golpe de Estado consumado no Congresso Nacional foram definitivamente desmascarados. Até mesmo o oligopólio da mídia empresarial, que apoiou explicitamente um impeachment sem crime de responsabilidade, foi obrigada a reconhecer que o governo Temer não pode seguir adiante.

As investigações revelam que Michel Temer comprou o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e que o senador Aécio Neves, candidato do PSDB que foi derrotado nas urnas e nunca aceitou o resultado eleitoral, solicitou R$ 2 milhões à empresa JBS para supostamente pagar sua defesa no âmbito da Operação Lava Jato.

O momento é de extrema instabilidade e reivindica o imediato resgate da soberania popular. A reforma da previdência e a reforma trabalhista devem ser suspensas imediatamente. O único caminho pertinente para assegurar a legitimidade do próximo governo é a antecipação de eleições diretas para a Presidência da República, através da aprovação de uma emenda constitucional.

Não podemos de forma alguma aceitar um golpe dentro do golpe, que seria a realização de eleições indiretas via Parlamento. O Brasil não pode ser vítima de mais um acordão, de mais uma conspiração que impeça o povo brasileiro de definir o destino do seu país.

O que definirá se o próximo governo será eleito diretamente pelo povo brasileiro ou indiretamente pelo Congresso Nacional será a mobilização social. Ao lado da Frente Brasil Popular e da Frente Povo Sem Medo, temos o dever cívico de ocupar as praças e avenidas de nosso país para reivindicar a convocação de eleições diretas.

Somente um governo eleito democraticamente através do voto direto e secreto dos cidadãos brasileiros poderá reinserir o nosso país nos trilhos do desenvolvimento econômico com inclusão social. Se queremos gerar emprego e renda, fortalecer a indústria nacional, produzir ciência e tecnologia e preservar os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, não há outro caminho senão a convocação de eleições diretas.

Manifestações já estão acontecendo espontaneamente nos mais diversos recantos do país desde a noite de quarta-feira, quando as denúncias foram divulgadas pela imprensa. Precisamos reunir toda essa energia e toda essa indignação popular em um grande ato nacional em defesa das diretas, que já foi convocado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo para o próximo domingo.

Domingo será o dia em que a população brasileira vai ocupar as ruas, fazer história e definir o destino do seu país. Não basta apenas o “Fora Temer”, e por isso mesmo não abrimos mão da convocação de eleições diretas. Fora Temer! Diretas já! Nenhum direito a menos!